[vc_row full_width=”stretch_row” tdc_css=”eyJhbGwiOnsibWFyZ2luLXRvcCI6Ii00OCIsIm1hcmdpbi1ib3R0b20iOiI0OCIsInBhZGRpbmctdG9wIjoiMzAiLCJwYWRkaW5nLWJvdHRvbSI6IjMwIiwiYmFja2dyb3VuZC1jb2xvciI6IiNmNGY4ZmIiLCJkaXNwbGF5IjoiIn0sInBob25lIjp7Im1hcmdpbi10b3AiOiItMzAiLCJtYXJnaW4tYm90dG9tIjoiMjAiLCJkaXNwbGF5IjoiIn0sInBob25lX21heF93aWR0aCI6NzY3fQ==”][vc_column][tdm_block_column_title title_text=”U2VtaW4lQzMlQTFyaW8lMjBkZSUyMFNlZ3VyYW4lQzMlQTdhJTIwZGUlMjBUciVDMyVBMm5zaXRv” title_tag=”h2″ title_size=”tdm-title-bg” tds_title1-title_color=”#0c419a” tds_title1-f_title_font_weight=”500″ tds_title1-f_title_font_transform=”” content_align_horizontal=”content-horiz-center” tds_title1-f_title_font_size=”42px” tds_title=”tds_title2″ tds_title2-line_height=”eyJhbGwiOiI0IiwicGhvbmUiOiIzIn0=” tds_title2-title_color=”#0c419a” tds_title2-line_color=”#0c419a” tds_title2-f_title_font_weight=”500″ tds_title2-line_width=”100″ tds_title2-line_space=”eyJhbGwiOiIzMCIsInBob25lIjoiMjAifQ==” tds_title2-line_alignment=”0″ tds_title2-f_title_font_transform=”uppercase” tds_title2-f_title_font_size=”eyJwaG9uZSI6IjMwIn0=”][/vc_column][/vc_row][vc_row tdc_css=”eyJhbGwiOnsibWFyZ2luLWJvdHRvbSI6IjQ4IiwicGFkZGluZy1yaWdodCI6IjEwJSIsInBhZGRpbmctbGVmdCI6IjEwJSIsImRpc3BsYXkiOiIifSwicG9ydHJhaXQiOnsicGFkZGluZy1yaWdodCI6IjUlIiwicGFkZGluZy1sZWZ0IjoiNSUiLCJkaXNwbGF5IjoiIn0sInBvcnRyYWl0X21heF93aWR0aCI6MTAxOCwicG9ydHJhaXRfbWluX3dpZHRoIjo3NjgsInBob25lIjp7InBhZGRpbmctcmlnaHQiOiIwIiwicGFkZGluZy1sZWZ0IjoiMCIsImRpc3BsYXkiOiIifSwicGhvbmVfbWF4X3dpZHRoIjo3Njd9″][vc_column][tdm_block_column_title title_tag=”h3″ title_size=”tdm-title-md” tds_title1-title_color=”#0c419a” tds_title1-f_title_font_size=”eyJhbGwiOiIyOCIsInBob25lIjoiMjQifQ==” tds_title1-f_title_font_line_height=”1.3″ tdc_css=”eyJhbGwiOnsiZGlzcGxheSI6IiJ9fQ==” title_text=”U2VtaW4lQzMlQTFyaW8lMjBkZSUyMFNlZ3VyYW4lQzMlQTdhJTIwZGUlMjBUciVDMyVBMm5zaXRvJTNBJTIwYSUyMHZpZGElMjBuJUMzJUEzbyUyMHBvZGUlMjBwYXJhciE=”][vc_column_text]

O ano era 2018, mês de maio – em plena campanha do Maio Amarelo. Naquela quinta-feira, 10, a Fetransportes lançou 1º Seminário de Segurança de Trânsito, cujo propósito era chamar a atenção quanto a importância de agir com estratégia para diminuir o número de lesões e mortes nas rodovias. Na prática, esse objetivo é absolutamente convergente com o próprio Maio Amarelo, que vida chamar a atenção da sociedade e das lideranças do trânsito quanto a necessidade das ações estratégicas para reduzir o número de lesões e mortes nas rodovias.

O evento de dia inteiro, sucesso de público e muito elogiado pelas discussões e debates que suscitou, cresceu e apareceu! Em 2019 foi realizada a segunda edição e ele já está sendo considerado o maior evento do Estado na temática de segurança de trânsito.

Os números que cercam as ocorrências, acidentes e mortes no trânsito justificam eventos como este. Somente no Espírito Santo, segundo dados do Detran e da Secretaria de Estado de Segurança Pública, acontecem cerca de 40 mil acidentes de trânsito, sendo 14 mil com vítimas, e cerca de mil mortes todos os anos nas rodovias federais, estaduais e vias municipais.

O volume e a gravidade desses acidentes afetam o sistema de saúde e a rede assistencial, desde a fase do atendimento pré-hospitalar até a reabilitação/readaptação do acidentado. Para se ter uma ideia do que estamos falando, os custos com acidentes têm representado algo em torno de R$ 2,8 bilhões.São números que causam enorme impacto social e econômico ao Estado.

“Decidimos abraçar essa causa porque a realidade nos exige isso! Todo dia, no trânsito brasileiro, morrem mais de 100 pessoas. Por ano, são mais de 45 mil vidas interrompidas e mais de 250 mil lesionados permanentemente de suas atividades normais. Aqui em nosso Estado, apesar dos esforços dos últimos anos, ainda temos anualmente mais de 400 mortes no local do acidente. Os números são impactantes e não estamos falando só de números, mas de pessoas, de famílias! Já perdemos muito tempo e agora precisamos levantar a bandeira da segurança. Essa, contudo, é uma luta que precisa do engajamento de todos, pois a vida não pode parar”, defende o presidente da Fetransportes, Jerson Picoli.

O Seminário de Segurança de Trânsito é uma realização da Fetransportes, com apoio dos sindicatos filiados à Fetransportes – Setpes, Transcares, GVBus, Sindliqes, Sinfrevi, Sinfrenor e Sinfres.

[/vc_column_text][tdm_block_inline_image image=”443″ media_size_image_height=”665″ content_align_horizontal=”content-horiz-center” modal_image=”yes” img_width=”eyJhbGwiOiI5NSUiLCJwaG9uZSI6IjgwJSJ9″][/vc_column][/vc_row]