ANTT conclui testes para uso de veículos elétricos e híbridos

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) concluiu o estudo de viabilidade para a adoção de veículos elétricos e/ou híbridos em parte de sua frota. O objetivo foi avaliar a viabilidade econômica e operacional dos veículos híbridos e elétricos no contexto das atividades de fiscalização da ANTT, bem como apontar potenciais reduções de custos com aquisição, combustíveis, manutenções e emissão de CO2, a partir da proposta de substituição de até 20% frota até 2025.

Na primeira etapa da pesquisa, foram formalizados convites de parcerias com objetivos ambientais e tecnológicos para diversas montadoras. Após algumas delas cederem modelos, as equipes de campo da ANTT testaram os veículos em termos de eficiência, autonomia e adaptação às demandas operacionais da Agência.
Os resultados obtidos representaram economia de recursos e diminuição na emissão de poluentes:

Veículos híbridos

Após a análise dos aspectos abordados, a pesquisa concluiu que, entre os veículos testados, os SUV’s híbridos plug-ins – veículos que permitem que o motorista opte pelo modo 100% elétrico, híbrido, ou somente com o motor a combustão – são os mais adequados ao perfil operacional da Agência, pois atendem integralmente às necessidades das atividades desenvolvidas, com flexibilidade operacional, eficiência e economia de recursos. O potencial de redução de custos com a aquisição deste tipo de veículo pode chegar a 1,5 milhão de reais no primeiro ano.

Veículos 100% elétricos

A análise dos aspectos apresentados na pesquisa, considerando principalmente a autonomia, a restrita rede de carregamento e o tempo de recarga, concluiu-se que os veículos 100% elétricos seriam adequados apenas para atividades específicas, com percursos urbanos e mais curtos; a exemplo de fiscalizações em regiões metropolitanas e em rodovias concedidas onde há maior disponibilidade de estações de carregamento.

É importante observar, no entanto, que, a depender do modelo selecionado, o potencial de redução de custos pode chegar a aproximadamente R$ 3,9 milhões no primeiro ano, cumprindo integralmente os objetivos sustentáveis projetados para a frota oficial até o ano de 2025.

Sustentabilidade e redução na emissão de CO2

Alinhada aos princípios da agenda ESG (Environmental, Social & Governance) da ANTT, a substituição de veículos elétricos/híbridos preconiza a redução da emissão de gás carbônico no meio ambiente.

Durante o período de testes, foram percorridos mais de 18 mil km com os veículos elétricos e híbridos, o que representou uma redução na emissão de CO2 de 58% em comparação com os veículos movidos a combustão.

A iniciativa está alinhada aos objetivos do Programa PROREV, que visa promover e provocar a revolução na ANTT – nas frentes regulatória, tecnológica e comportamental – com projetos, iniciativas e ações estruturadas para nos transportar a um novo patamar de atuação.

Um exemplo é o Ciclo ESG, iniciativa que visa à integração de boas práticas ambientais, sociais e de governança à cultura organizacional e aos contratos de concessão regulados e fiscalizados pela Agência. O compromisso alia responsabilidade, sustentabilidade, ética e transparência, motivado pela preocupação com o futuro e pelo entendimento da necessidade de ser um agente de mudanças.

Fonte: ANTT